terça-feira, 10 de maio de 2016

‘Discordo, mas respeito’, avalia Flávio Dino sobre recuo de Waldir Maranhão

Flávio Dino discorda, mas respeita medida de Waldir Maranhão (Foto: G1)
Flávio Dino discorda, mas respeita medida de Waldir Maranhão (Foto: G1)
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), voltou a usar as redes sociais na manhã desta terça-feira (10) para se posicionar sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Desta vez, Dino afirma que, apesar de discordar, respeita a medida tomada na madrugada pelo presidente em exercício da Câmara dos Deputados e aliado político, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), de revogar a própria decisão que proferiu ao tentar anular a sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo.

“Em face da decisão do Senado, o dep Waldir Maranhão revogou sua decisão sobre o recurso da Advocacia Geral da União. Discordo, mas respeito. O dep Waldir Maranhão teve a coragem que poucos tiveram: votou NÃO ao golpe e tentou conter a marcha da insensatez. Tem o meu respeito”, escreveu em seus perfis nas redes sociais.

O governador do Maranhão acrescentou que se orgulha em ‘defender a Constituição, a Democracia e o Estado de Direito’. “Muito difícil discordar e se manter firme diante dessa onda avassaladora e ‘consensual’. Foi assim em 1964 e está sendo assim novamente. Orgulho-me de defender a Constituição, a Democracia e o Estado de Direito, princípios que estão muito acima de conjunturas difíceis. Lembro-me sempre do deputado Tancredo Neves se opondo a Auro Moura Andrade em noite tenebrosa e ‘consensual’ no Congresso em abril de 1964”, completa.

Flávio Dino é um dos principais defensores de que não há motivos para o impeachment de Dilma Rousseff. Na publicação desta terça-feira, ele garante que seguirá na ‘luta em defesa do mais longo ciclo democrático da vida institucional brasileira’. “Parabenizo o grande jurista José Eduardo Cardoso, irreparável na defesa competente e séria do mandato constitucional da presidenta Dilma. E segue a luta em defesa do mais longo ciclo democrático da vida institucional brasileira. Estamos diante de um absurdo político e jurídico”, escreveu.

Para apoiar seu argumento, o governador do Maranhão relembra as manifestações de juristas brasileiros e da posição do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, e do presidente da Corte Interamericana, Roberto Caldas, que manifestaram “preocupação” com o impasse político em torno do caso.

Relembre
Nessa segunda-feira (9), o governador Flávio Dino havia utilizado as redes sociais para se posicionar favorável à decisão de presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, de anular a votação que aprovou o processo de impeachment, dizendo ser ‘natural’ o deputado Waldir Maranhão, sendo do mesmo Estado, pedir a ‘opinião sobre temas relevantes’.

“Natural que o deputado Waldir Maranhão, sendo do meu Estado, peça minha opinião sobre temas relevantes. Como eu peço a ele também. Juridicamente, a decisão do deputado Waldir Maranhão é centenas de vezes mais consistente do que o pedido do tal "impeachment". Realmente fico perplexo como alguém pode inventar essa tese de "pedaladas" e meia dúzia de decretos orçamentários como causa de impeachment”, escreveu Dino nas redes sociais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário