domingo, 24 de janeiro de 2016

Veja a carta deixada por delegado que se matou em Teresina

do Gilberto Leda
cart
exclusivo
Escrito de próprio punho, o relato explicita o que ele considerou como os motivos para tirar a própria vida com um tiro na boca: perseguição, em virtude da sua remoção de Coroatá para São Raimundo das Mangabeiras, e a distâncias dos dois filhos autistas.
A carta foi escrito em um página de uma agenda pessoal do delegado, no dia 8 de janeiro, uma sexta-feira, exatamente a data em que os investigadores acreditam que el cometeu o suicídio. Algo que foi escrito no dia 9 está encoberto por fita gomada.
“Me despeço dessa vida porque não aguento mais a perseguição que recai sobre mim desde que surgiu o problema com advogado de Coroatá. […] Me envolveram em uma armação política”, escreveu.
A mensagem é direcionada à mãe, aos irmãos e aos filhos, de quem ele dizia ter sido afastado. “Que depois de hoje isso não se repita […]. Me tiraram da convivência dos meus filhos”, completou.
Ele deixou também um recado à Associação dos Delegados de Polícia do Maranhão. “Quero que a associação interceda por mim pelos direitos dos meus filhos”, pediu, antes de finalizar agradecendo a Deus por ter dado a ele a oportunidade de ter sido delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário