sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Juízes apontam falha do sistema prisional em tiroteio no fórum

Osmar Gomes dos Santos, diretor do Fórum Desembargador Sarney Costa
O diretor do Fórum Desembargador Sarney Costa, o juiz Osmar Gomes, tocou na ferida ao comentar sobre o episódio da troca de tiros entre o presidiário Erinaldo Almeida e o agente de polícia Enedias Chagas Neto, na manhã de ontem quinta-feira (31) na sede do órgão.
Se ele vem resolver um problema pessoal, vem servir como testemunha, ele não tem necessidade de vir ao Fórum ou ao tribunal armado. Nós já adquirimos os detectores de metais e estamos, junto à presidência do Tribunal de Justiça, viabilizando catracas eletrônicas e raio x para que nós possamos garantir com eficiência a segurança das pessoas que adentram o Fórum”, afirmou Osmar Gomes.
O magistrado apontou ainda como falha, o fato do agente estar sozinho na sala de audiência do 4º Juri criminal fazendo a guarda de um pistoleiro de alta periculosidade. Osmar Gomes lembrou, a disparidade do porte físico do preso, mais avantajado, para o agente penitenciário, que teve a arma tomada.
Comungaram com a mesma opinião do juiz, o presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão, Gervásio Protásio dos Santos, e o Sub-delegado Geral, Augusto Barros. Os dois criticaram a forma como a escolta foi feita colocando em risco a vida dos juízes e dos funcionários do fórum.
O delegado Cláudio Mendes, do Departamento de Narcóticos (Denarc) repreendeu a Portaria que proíbe a entrada de policiais armados no Fórum. “Graças a Deus o Enedias (policial alvejado pelo detento) não cumpriu essa ordem judicial e hoje está vivo. É uma situação realmente difícil e indignante. Inclusive, no momento lá o juiz chegou a dizer que um policial sangrando lá no chão era culpa da polícia, despreparo da polícia. Agora, não sei por que falar isso. Se eu estivesse naquele corredor desarmado como eu estava, eu estaria morto”, concluiu Mendes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário